quinta-feira, 1 de abril de 2010

aquela noite.

- Recordo aquela noite como se tivesse acontecido ontem. Era verão, e estavamos numa festa. Agarras-te na minha mão com muita delicadeza, e segredas-te me ao ouvido: vem comigo, não tenhas medo. Admito que desde o dia em que te vi, que não me eras indiferente. Tinhas algo de especial .. Não sei se era do teu macio cabelo claro, não sei se era dos teus olhos da cor das águas limpidas do mar, ou se era do teu sorriso tão meigo. Só sei que sempre que te via, o meu coração desparava de alegria. E naquela noite não foi diferente. Quando ouvi as tuas palavras, segui-te. Levas-te me para a praia, e convida-te me a sentar. O silencio instalou-se durante algum tempo, enquanto observávamos atentamente o reflexo brilhante da lua cheia naquelas águas. Ficamos assim por uns momentos, até que as tuas palavras interromperam aquele lindo , e ao mesmo tempo , estranho momento. Agarras-te nas minhas mãos e disses-te: Sabes, nunca me tinha sentido assim com ninguém; tens alguma coisa que te torna tão especial. Chamas-te me à atenção desde aquela linda tarde em que nos conhecemos, nesta mesma praia. Não sei porquê, mas tu encantaste-me. Entras-te na minha vida de uma forma tão simples, e agora não quero que saias.Mal acabas-te de dizer tais palavras, passas-te suavemente a tua mão sobre a minha face, e de seguida, uniste os nossos lábios num beijo apaixonado. Confesso que não estava nada à espera, mas gostei. Senti algo dentro de mim, que jamais tinha sentido. Sentia-me bem a teu lado, fazias-me bem. Tive que te roubar mais um beijo, desculpa mas tinha que ser. Queria sentir de novo os teus lábios colados aos meus no profundo e atrevido beijo. Ficamos assim, o resto da noite. Fomos trocando carinho e afecto. Beijos e abraços. Vivendo um amor de verão, um amor com coração.

5 comentários:

dá a tua opinião :)